Quem, ao assistir a um filme dublado, nunca ouviu a famosa frase: “versão brasileira Herbert Richers”?

Mas o que muitos não sabem é que Herbert Richers foi um importante produtor de cinema brasileiro que morreu nessa sexta-feira, no Rio de Janeiro. O produtor foi  velado na tarde de sexta, no Memorial do Carmo, na Zona Portuária do Rio, e será cremado no sábado (21).

Ele estava internado desde o último dia 8 na Clínica São Vicente, na Zona Sul da cidade. Ele sofria de problemas nos rins.

Herbert tinha 86 anos e nasceu em Araraquara, no interior de São Paulo e começou a produzir filmes em meados dos anos 50. Foram cerca de 60 filmes ao longo de sua carreira. Ainda nos anos 50 fundou a empresa que leva seu nome e começou na distribuição de filmes. Mais tarde, ela se transformou numa das pioneiras na dublagem Brasil e ainda hoje é uma das maiores no ramo no país.

 

tropa de elite_nascimentoOs traficantes que se cuidem. Capitão Nascimento está de volta. Wagner Moura assume novamente o papel que se transformou num ícone do cinema nacional no policial “Tropa de Elite” (2007). Segundo o produtor Marcos Prado, sócio do diretor José Padilha, a continuação começa a ser rodada em janeiro.

Segundo o produtor do filme, Prado, o elenco será o mesmo, incluindo André Ramiro, como Matias, e Fernanda Machado, como sua namorada.

Embora a história ainda seja sigilosa, Prado adianta que “Tropa de Elite 2” se passa nos tempos atuais. “Queremos abordar o que acontece com o capitão Nascimento 12 anos depois de abandonar o BOPE, como uma pessoa fica depois de sair da corporação”.

O orçamento da produção deve ser o mesmo valor do primeiro, cerca de R$ 10 milhões. Wagner Moura, além de atura no filme será o coprodutor, reduzindo um pouco seu cachê mas receberá, então, parte da bilheteria do filme