O ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, de 63 anos, morreu às 23h50 desta sexta-feira (20), no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, em decorrência de um câncer disseminado no intestino.

Boletim médico divulgado pelo hospital informou que a doença vinha vinha sendo tratada desde janeiro desse ano, quando foi submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor no intestino.

O velório está marcado para as 12h, na Assembléia Legislativa, e o enterro, para as 17h, no cemitério Getsêmani, em São Paulo.

Pitta foi eleito em 1996, com 62,2% dos votos, apoiado pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP), de quem havia sido secretário. Ele esteve à frente da prefeitura até 2000. O mandato de Pitta foi marcado por suspeitas de corrupção, com denúncias surgindo em março de 2000, principalmente por parte de sua ex-esposa, Nicéia Camargo. As denúncias envolviam vereadores, subsecretários e secretários – entre as denúncias, está o escândalo dos precatórios.

fraude-ganhar-dinheiroA Uefa, depois de detectar irregularidades em 40 jogos de competições nacionais e europeias nos últimos quatro anos, revelará em novembro o maior esquema de corrupção “de todos os tempos” montado no futebol europeu, disse Karl Dhont, encarregado da entidade de investigar fraudes.

A Uefa tem “provas concretas” sobre anomalias em jogos de campeonatos nacionais e de eliminatórias da Liga dos Campeões e da Copa da Uefa – atualmente chamada de Liga Europa.

O esquema envolveria principalmente clubes do leste europeu. Mas algumas equipes do oeste e do sul também teriam participado das fraudes.

O sistema de controle da Uefa detectou apostas internacionais “suspeitas” relacionadas ao jogo. Mas não foram encontradas provas definitivas de que o jogo “foi comprado”.

Segundo o comissário da Uefa e jurista belga, o dossiê da investigação “está concluído” e revela o maior esquema de corrupção de “todos os tempos”.